Treinamento funcional: benefícios para jovens, adultos, idosos e atletas

 

As pessoas são diferentes umas das outras. Cada indivíduo possui características biológicas e objetivos próprios. Sexo, idade, condicionamento, estilo de vida, histórico de doenças e acidentes são alguns dos exemplos. O treinamento funcional procura adaptar os exercícios físicos a estas individualidades. Nesse texto, você vai entender como.

 

O que é o treinamento funcional?

 

O corpo humano possui diversas capacidades físicas. Força, potência, velocidade, agilidade e resistência aeróbia são algumas delas.

Geralmente, exercícios tradicionais, como a musculação ou a corrida, têm o foco específico em alguma dessas valências. Já o treinamento funcional procura utilizar todas elas, de acordo com as limitações e potencialidades de cada pessoa.

 

“O treinamento funcional busca melhorar a qualidade de movimento através da força, da flexibilidade, da postura e da perda de peso. Tem como objetivo aperfeiçoar a capacidade de realizar atividades comuns do dia a dia e do esporte, com aumento da performance, da autonomia e da independência - reduzindo os riscos de lesões” Wagner Merida Bomfim (CREF 021475-g/SC), Bacharel em Educação Física.

 

A metodologia de treinamento funcional faz com que a pessoa pense em cada gesto durante a sua execução, e não faça apenas séries repetitivas. Isso costuma proporcionar maior motivação e ótimos resultados.

 

Gestos do dia a dia

 

No dia a dia, assim como em muitas modalidades esportivas, precisamos realizar movimentos e gestos motores amplos, que exigem o trabalho de vários grupos musculares. Isso acontece com intensidades diferentes, tanto quando precisamos levantar da cama, como quando um lutador de judô aplica um golpe, por exemplo.

A proposta do treinamento funcional é justamente essa. Promover ações musculares em conjunto e simultâneas. Trabalhar o corpo humano de forma global.

 

“No treinamento funcional, os exercícios são semelhantes às situações cotidianas. Envolvem gestos motores como puxar, saltar, agachar e lançar. Enquanto na musculação o praticante realiza movimentos com eixos definidos e isolados, o treinamento funcional explora a qualidade de movimento em vários planos” Wagner Merida Bomfim (CREF 021475-g/SC), Bacharel em Educação Física.

 

Começando a treinar

 

O treinamento funcional deve ser personalizado, de acordo com as características e objetivos de cada pessoa. Seja um jovem em busca de qualidade de vida, um idoso em reabilitação ou um atleta que deseja melhor rendimento.

Na Clínica Cardiosport, as aulas têm apenas 2 alunos, para que o professor possa dar atenção a todos os detalhes, estabelecer a progressão mais adequada e corrigir eventuais movimentos incorretos (prevenindo lesões e garantindo maiores benefícios).

Por isso, antes de iniciar as sessõe e começar a treinar, é necessário fazer uma avaliação, para que o profissional responsável possa fazer um diagnóstico e elaborar o planejamento mais adequado.

 

“Na avaliação, nós pedimos para que os alunos e pacientes façam alguns movimentos naturais, como os agachamentos. Avaliamos a mobilidade dos quadris, dos ombros, a postura e uma série de outros aspectos, como as capacidades de flexibilidade” Wagner Merida Bomfim (CREF 021475-g/SC), Bacharel em Educação Física.

 

A partir da avaliação, o treinamento funcional é definido. Muitas vezes, atletas jovens e pessoas idosas fazem o mesmo exercício. O que muda é a intensidade. As sessões são diversificadas, desafiadoras e progridem de acordo com a adaptação do aluno.

No geral, o treinamento funcional envolve:

  • Transferência de exercícios: Os alunos começam realizando exercícios com auxílio de equipamentos (como bolas, molas e elásticos), que facilitam o trabalho. Pouco a pouco, passam a executá-los com o peso do próprio corpo e, inclusive, com cargas extras.
     

  • Treinamento do core: O core é o centro do nosso corpo. Treiná-lo significa fortalecer uma série de músculos abdominais retos, cruzados, externos e profundos. Essa fase é importante para o ganho de estabilidade. A partir dela, passamos para o treinamento das extremidades (braços e pernas), melhorando a consciência corporal.
     

  • Treino de propriocepção:  São exercícios realizados de forma segura sobre plataformas instáveis. Aperfeiçoam os reflexos, a coordenação, a estabilidade e o fortalecimento de músculos profundos.

Indicações

 

Por ser personalizado, o treinamento funcional é indicado para pessoas de todos os sexos, idades e níveis de condicionamento físico. Tanto idosos em em reabilitação cardíaca como atletas em busca de melhor desempenho podem se beneficiar da metodologia.

Pessoas com problemas articulares devem, contudo, serem acompanhadas por um fisioterapeuta.

 

Cuide da sua saúde! A Clínica Cardiosport possui um espaço exclusivo, dedicado ao treinamento funcional. Nossos profissionais são referência em prevenção, medicina do esporte e reabilitação. Conte conosco.

Sobre o autor: Wagner Merida Bomfim (CREF 021475-g/SC) é Bacharel em Educação Física e Esporte pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Possui certificações em treinamento funcional nível 2 (certificação de força e condicionamento funcional), avaliação funcional do movimento (Functional Movement Screen 2) e Kettlebell Training (FKB). É treinador de Triathlon nível 1- CBTri, Personal Trainer e coordenador do serviço de treinamento funcional da Clínica Cardiosport.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Cardiosport

A Clínica Cardiosport de Prevenção e Reabilitação foi fundada em 1997 e, desde então, tem como proposta a promoção de saúde.

Saúde

Agendamento telefônico

Aviso

Segunda a sexta, das 7h às 20h 

As informações em nosso site tem caráter meramente informativo e não substituem as orientações do seu médico. 

Horário de funcionamento

Segunda à sexta, das 7h às 20h30 

Responsável Técnico:

Dr. Tales de Carvalho - CRM-SC: 4557

Clínica

Siga a Cardiosport:

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Clínica Cardiosport